Bem-vindo ao Conhecimentos Gerais, um site dedicado a oferecer informações e conhecimentos sobre uma variedade de matérias, incluindo português, matemática, ciências, geografia e muito mais.

Por do sol, pôr-do-sol ou pôr do sol: qual o correto?

Se você já se deparou com a dúvida de como escrever corretamente a expressão “por do sol“, não se preocupe, você não está sozinho. 

Essa é uma questão frequente entre os amantes da língua portuguesa e das belezas naturais. Neste artigo, vamos esclarecer de uma vez por todas qual é a forma correta: por do sol, pôr-do-sol ou pôr do sol.

Como escrever?

Imagem com Como escrever?
www.todamateria.com.br

A expressão que descreve o fenômeno do sol se pondo no horizonte é uma das mais poéticas e inspiradoras da língua portuguesa. No entanto, a forma correta de escrevê-la é “pôr do sol“. Vamos entender o motivo.

O verbo “pôr”, nesse contexto, está conjugado no infinitivo, indicando a ação de o sol se pôr. A palavra “sol” é um substantivo que complementa a ideia do verbo “pôr”.

Portanto, não há necessidade de utilizar o hífen entre “pôr” e “do”. A forma correta é escrever “pôr do sol” sem nenhum sinal de pontuação entre as palavras.

É importante destacar que a expressão “por do sol” é considerada incorreta e deve ser evitada. O uso adequado da língua portuguesa nos permite uma comunicação clara e eficiente, evitando confusões e equívocos.

Agora que você sabe a forma correta de escrever, não há mais motivos para ficar em dúvida. Lembre-se de utilizar “pôr do sol” sempre que quiser se referir a esse momento tão especial em que o sol se despede e nos presenteia com um espetáculo de cores e emoções.

O pôr do sol é uma oportunidade de contemplação e conexão com a natureza. Aproveite esses momentos para relaxar, refletir e apreciar a beleza que nos é oferecida diariamente. Seja em uma praia, em uma montanha ou na sua própria janela, permita-se mergulhar nessa experiência única e renovadora.

Veja também:  Crase: Saiba Como Usar e Teste Seus Conhecimentos

O uso do hífen

Existem algumas palavras na língua portuguesa que frequentemente geram dúvidas em relação ao uso do hífen, especialmente quando se trata de palavras compostas. Abordaremos algumas delas e esclarecer a forma correta de escrita.

Bem-vindo ou bem vindo

A forma correta é “bem-vindo” quando usada como adjetivo, concordando em gênero e número com o substantivo a que se refere.

Exemplo: “Seja bem-vindo à nossa casa”. Já “bem vindo” é utilizado quando o termo “vindo” é o particípio do verbo “vir” e não concorda com o substantivo. Exemplo: “Ele está bem vindo hoje”.

Autoestima ou auto-estima

A forma correta é “autoestima”, sem hífen. Refere-se à valorização, confiança e respeito por si mesmo. Exemplo: “Devemos cultivar a nossa autoestima”. O Novo Acordo Ortográfico aboliu o hífen em diversas palavras compostas, como em “autoestima”.

Mandachuva ou manda-chuva

A forma correta é “manda-chuva”, com hífen. Refere-se a uma pessoa que exerce poder ou influência em determinado contexto. Exemplo: “Ele se considera o manda-chuva da empresa”.

Paraquedas ou para-quedas

A forma correta é “paraquedas”, sem hífen. Trata-se de um equipamento utilizado para a prática de saltos ou paraquedismo. Exemplo: “Ele saltou de paraquedas pela primeira vez”.

Girassol ou gira-sol

A forma correta é “girassol”, sem hífen. Refere-se a uma planta que consegue girar suas flores em direção ao sol. Exemplo: “Os girassóis deixam os jardins mais bonitos”.

Pós-graduação ou pós graduação

A forma correta é “pós-graduação”, com hífen. Refere-se ao nível de estudos que se segue à graduação. Exemplo: “Ele cursou uma pós-graduação em Direito”.

Sem-terra ou sem terra

A forma correta é “sem-terra”, com hífen. Refere-se a um movimento social que luta pela reforma agrária. Exemplo: “Os sem-terra ocuparam a fazenda”.

Infraestrutura ou infra-estrutura

A forma correta é “infraestrutura”, sem hífen. Refere-se ao conjunto de elementos e serviços necessários para o funcionamento de uma região ou sociedade. Exemplo: “O país precisa investir em infraestrutura para se desenvolver”.

Extraoficial ou extra-oficial

A forma correta é “extraoficial”, sem hífen. Refere-se a algo que não possui caráter oficial, mas circula de maneira não oficial. Exemplo: “As informações são extraoficiais e devem ser confirmadas”.

Contrassenso ou contra-senso

A forma correta é “contrassenso”, sem hífen. Refere-se a algo ilógico ou contraditório. Exemplo: “É um contrassenso você querer economizar dinheiro, mas gastar sem controle”.

Veja também:  Descobrindo o Texto Descritivo: Uma Imersão na Arte de Ilustrar com Palavras

Micro-ondas ou microondas

A forma correta é “micro-ondas”, com hífen. Refere-se a um eletrodoméstico utilizado para aquecer alimentos. Exemplo: “Aqueça a comida no micro-ondas por dois minutos”.

Vice-presidente ou vice presidente

A forma correta é “vice-presidente”, com hífen. Refere-se ao cargo que ocupa a segunda posição na hierarquia de um órgão ou instituição. Exemplo: “O vice-presidente assumiu as responsabilidades do presidente”.

Autoescola ou auto-escola

A forma correta é “autoescola”, sem hífen. Refere-se ao estabelecimento onde são ministradas aulas teóricas e práticas de direção veicular. Exemplo: “Ela se matriculou em uma autoescola para tirar a carteira de motorista”.

Guarda-chuva ou guarda chuva

A forma correta é “guarda-chuva”, com hífen. Refere-se a um objeto utilizado para proteger-se da chuva. Exemplo: “Leve sempre um guarda-chuva em dias chuvosos”.

Segunda-feira ou segunda feira

A forma correta é “segunda-feira”, sem hífen. Refere-se ao segundo dia da semana. Exemplo: “A reunião está marcada para segunda-feira”.

Guarda-roupa ou guarda roupa

A forma correta é “guarda-roupa”, com hífen. Refere-se ao móvel utilizado para guardar roupas e acessórios. Exemplo: “Organize suas roupas no guarda-roupa”.

Seguro-desemprego ou seguro desemprego

A forma correta é “seguro-desemprego”, com hífen. Refere-se ao benefício financeiro concedido a trabalhadores demitidos sem justa causa. Exemplo: “Ele solicitou o seguro-desemprego após ser demitido”.

Mão de obra ou mão-de-obra

A forma correta é “mão de obra”, sem hífen. Refere-se ao trabalho realizado por pessoas. Exemplo: “A empresa precisa de mão de obra qualificada”.

Dia a dia ou dia-a-dia

A forma correta é “dia a dia”, sem hífen. Refere-se à rotina diária ou às atividades cotidianas. Exemplo: “Aprender a lidar com o estresse faz parte do dia a dia”.

Alto-falante ou alto falante

A forma correta é “alto-falante”, com hífen. Refere-se ao dispositivo utilizado para amplificar o som. Exemplo: “O alto-falante do sistema de som está com defeito”.

É importante lembrar que a grafia das palavras pode ser alterada ao longo do tempo, conforme as atualizações do Acordo Ortográfico. Por isso, é fundamental estar atento às regras e consultar fontes confiáveis para esclarecer eventuais dúvidas.

O uso correto do hífen contribui para uma escrita precisa e clara, evitando ambiguidades e facilitando a compreensão da mensagem. É sempre válido consultar dicionários, manuais de estilo e recursos linguísticos atualizados para garantir a correta utilização do hífen e evitar equívocos na escrita.

Agora que você dominou o uso correto da expressão, compartilhe essa informação com seus amigos e familiares. Eles também poderão apreciar ainda mais o pôr do sol sabendo como escrever corretamente. Não deixe de registrar esse espetáculo em fotografias e guardar essas lembranças preciosas.

você pode gostar também

Escreva um comentário